quinta-feira, 5 de maio de 2016

Por falta de recursos Coopvila suspende as atividades de coleta seletiva



Enquanto aguardam a contratação pela Prefeitura de Maceió, cooperados e suas famílias vivem momentos de incertezas e dificuldades. 

Carta aberta aos parceiros

A COOPVILA comunica que suas atividades de coleta seletiva domiciliar estão paralisadas até obter uma negociação positiva com a Prefeitura Municipal de Maceió. Como organização de catadores muito investiu em capacitação e organização dos serviços prestados, incluindo estudos técnicos sobre a viabilização do contrato legal. No entanto, após um ano de elaboração de proposta com a gestão pública, em parceria com o Ministério Público do Trabalho, houve novo adiamento do repasse para pagamento parcial dos custos dessa coleta às cooperativas de catadores de Maceió. 

Desde 2011, vale destacar, as cooperativas lutam pela contratação dos serviços de coleta seletiva. Nesse ano, a Prefeitura Municipal de Maceió, contrariando a Lei Nacional de Resíduos Sólidos, incluiu o serviço de coleta seletiva em edital de licitação dirigido às empresas de coleta se lixo urbano. As cooperativas recorreram junto ao Ministério Público Estadual e um acordo foi firmado para contratação das cooperativas de catadores. Esse acordo foi desfeito no início da atual gestão da prefeitura e durante os últimos três anos lutamos pelo cumprimento da Lei.  

Na situação atual, é inviável manter o serviço prestado sem pagamento, o que aumenta os riscos de sobrevivência da COOPVILA, construída em oito anos de muita luta e trabalho. Seus cooperados/as defendem o direito de trabalhar e viver com dignidade, oferecendo à Maceió um serviço público que, legalmente, precisa ser remunerado. A venda de recicláveis doados, por si só, não traz sustentabilidade.

A COOPVILA acredita que a Prefeitura poderá fazer sua parte, cumprir a tarefa de organizar o serviço de coleta seletiva e contratar as cooperativas de catadores. Desse modo, possibilitará novos postos de trabalho, geração de renda, numa política de combate às desigualdades sociais para construir uma sociedade mais justa e solidária. 

Para continuar os serviços de reciclagem, a COOPVILA solicita aos seus parceiros a entrega de materiais na sua sede. Outra ação é a manifestação de apoio à causa da inclusão dos catadores junto à prefeitura. A confiança na solidariedade e na justiça nos anima na esperança de breve retomar a coleta domiciliar. Catador é uma profissão digna e essencial à qualidade de vida das pessoas.

Atenciosamente,
COOPVILA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário